Uma loja on-line, pelo menos por enquanto, que tem tudo para os baristas mais experientes ou até para quem está começando na área, e também para todos os fãs de café, de um bom café, digo, assim é a Novakiev, aposta dos irmãos Bruno e Renata Abujamra Novacosky.

A iniciativa tomou forma durante a pandemia, com tudo fechado, as lojas reduziram as compras, então, o que era uma distribuidora para lojistas acabou transformando-se em um local especializado em cafés, um e-commerce com muitos produtos. Um paraíso.

Café exclusivo

Loja pronta, uma parceria com um bom fornecedor de cafés era o que faltava. A barista e mestre de torra Cláudia Bentlin, do Distinto Cafés Especiais, resolveu o problema e agora fornece um blend único para eles. “O sonho de ter um café exclusivo foi realizado”, conta Bruno. Outro diferencial oferecido pela loja é ter bons preços para o consumidor final, além de o site ser atrativo e fácil de usar.

Comércio no sangue como se diz, a inspiração para a loja também veio do libanês Alberto Abujamra, o avô dos irmãos, além de empreendedor da área da gastronomia e hotelaria, foi um grande produtor de café antes da geada negra, que destruiu plantações no Norte do Paraná, em 1975. E assim os irmãos colocam tudo na mesma cesta para ter sucesso: formação em administração, resgaste de uma tradição familiar, exclusividade, tino para os negócios, dedicação, nome sonoro emprestado do outro lado da família e ganhamos todos nós, pois querem ser uma referência nacional em comércio digital de cafés.

Cláudia Bentlin

E aqui vale um parágrafo sobre a idealizadora do Distinto Cafés Especiais. A Cláudia Bentlin, que fornece o blend exclusivo, estuda o café10 anos e quando eu digo estuda é porque ela não para, além dos cursos que faz, se debruça em dissertações e teses de mestrado e doutorado vindas da engenharia química e sempre quer mais, quer também capacitar os produtores.

Além de consultora, é classificadora e degustadora, anualmente tem o olfato e o paladar calibrado pela metodologia do Cup of Excellence, coisa de que nunca ouvi falar. Fui saber o que é e, claro, depois de conversar com ela vou dizer que o leitor precisa ir até o Distinto Cafés para conhecê-la pessoalmente, com direito a bom papo e um cafezinho daqueles de não esquecer, com certeza. Concluo que ela merece muito mais do que um parágrafo. E fiquei tão curiosa que agora quero calibrar o meu paladar. Se minha vida mudou depois do cuping, quando você aprende a provar e entender o que é café, tenho até medo da calibração. Prometo contar com detalhes.

Slow Food Coffee Coalition

E se o assunto é café, a outra novidade é o movimento Slow Food Coffee Coalition criado pelo Slow Food e o Grupo Lavaza. A intenção delesé reunir “todos os atores da cadeia do café, dos produtores aos torradores, dos distribuidores aos consumidores, unidos pelo amor pelo café”.

“Um café bom, limpo e justo para todos” é o slogan do manifesto lançado recentemente no Dia Mundial da Terra, em Turim, Itália, durante o Terra Madre Salone del Gusto. Eles querem um novo modelo de relações, inspirado nos valores da cooperação de acordo com os paradigmas de produção e consumo.

Respeito ao meio-ambiente

“Esta coalizão é a verdadeira resposta à crise que estamos vivendo e que exige firmemente uma mudança de ritmo”, comentou Carlo Petrini, presidente do Slow Food. De acordo com os organizadores é preciso passar de uma sociedade baseada na competitividade para uma sociedade baseada na colaboração. Melhorar o relacionamento entre agricultores e consumidores é o objetivo.

“Para que ocorra uma verdadeira transição ecológica, é necessário conscientizar e gerar um conhecimento compartilhado na comunidade. Por isso é essencial nos prepararmos para enfrentar os desafios futuros com ferramentas como alianças, uniões e colaboração”, continuou Petrini.

Giuseppe Lavazza, vice-presidente do Grupo Lavazza, parceiro do Slow Food desde meados dos anos 90, explicou que será um grupo de trabalho aberto, cuja importância é cada vez mais evidente numa cadeia complexa como a do café. “A necessidade de construir alianças em âmbito pré-competitivo para desenvolver conhecimento, projetos e conteúdo se torna cada vez mais clara. Um modelo desafiador e inovador onde todos os atores do mundo do café são chamados a participar”, explicou.

Para isso, eles convocam agricultores, comerciantes, torradores, baristas, donos de restaurantes, cozinheiros, especialistas do setor, instituições públicas, grandes empresas, apaixonados e simples consumidores de café, estimulados pela curiosidade e pelo desejo de saber algo mais, a criarem vínculos e cooperar. “Apenas com um diálogo aberto e colaborativo podemos transformar o sistema e melhorar a cadeia de produção do café, conscientizando os produtores, distribuidores e consumidores”, afirma Emanuele Dughera, coordenador da Slow Food Coffee Coalition.

“É mais do que dizer que a minha propriedade é sustentável”, declaram no vídeo disponível no site do Slow Food Coffee Coalition, que segue os princípios da Agenda 2030 das Nações Unidas.

Ferran Adrià

O famoso chef Ferran Adrià prestigiou o lançamento do movimento. Ele gravou um depoimento e falou sobre a iniciativa que criou há quatro anos com a Lavazza e a Universidade de Pollenzo – a “Coffee Sapiens” – um espaço para adquirir conhecimento e se conectar com as pessoas que atuam na área ou que consomem a bebida e que resultou no livro “What is coffee”. “Um livro de quase 700 páginas sobre genética, plantas, cultivo, tecnologias e técnicas”, contou Adrià. Outras reflexões também estão na obra: que tipos de cafés temos; como podemos compará-los; o café no mundo e na história. Adrià também destacou o significado do café, “uma das coisas mais importantes da bebida que é a sociabilização”, lembrou.

Convite

Encerro com o apelo e convite do coordenador do Café Slow Food Coalition.

“Queremos que o foco passe da xícara para o solo onde nasce o café”, afirma Dughera. “Não é simplesmente uma bebida que nos dá energia, mas um produto agrícola que contém mil matizes e que ainda pode nos surpreender. É por isso que, com a Slow Food Coffee Coalition, queremos nos comprometer a reconhecer o trabalho dos agricultores e permitir que os consumidores possam fazer escolhas informadas. Siga-nos nesta nova viagem, assine o Manifesto e junte-se à Café Slow Food Coalition. A mudança começa hoje, começa aqui, começa com todos”, concluiu Dughera.

Slow Food

O Slow Food é uma rede mundial que acredita na proteção do meio ambiente, na defesa dos direitos humanos e trabalhistas fundamentais, na transparência, rastreabilidade, educação e direito ao prazer, e que torna esses elementos a base de um caminho novo.

Serviço:

O que: comércio de cafés on-line

Onde: www.cafesnovakiev.com.br

Instagram: @novakiev

Para saber mais sobre o Slow Food Coffee Coalition: https://terramadresalonedelgusto.com/en/event/slow-food-coffee-coalition-together-for-a-good-clean-and-fair-coffee-for-all/

https://terramadresalonedelgusto.com/en/

Instagram: @slowfood_international

@lavazzaofficial

#slowfoodcoffeecoalition

Mensagem via Site