O Instituto Paulo Martins, com a consultoria da Margot Botti Gastronomia e Cultura, está oferecendo um curso para transmitir o conhecimento sobre a cozinha da floresta de forma sistematizada e aprofundada.

Chamado de Cuia Culinária Imersiva Amazônica o curso irá mostrar como são produzidos os principais ingredientes da culinária e oferecer a oportunidade de aprender com pequenos produtores rurais, cozinheiros de raiz e chefs de cozinha de restaurantes locais.

Foto do chef Paulo Martins no site do seu instituto

A iniciativa é uma das ações que possibilita continuar o trabalho do chef Paulo Martins, precursor do movimento de valorização da cultura culinária do Amazonas na década de 1990 e responsável por apresentar ingredientes paraenses para brasileiros e estrangeiros.

O chef, falecido em 2010, acreditava que o tucupi e o jambu seriam os sabores que ganhariam destaque no século XXI.

O famoso Mercado Ver-o-Peso em Belém

Curso

O curso está dividido em dois módulos de oito dias realizados em Belém. A ideia é que estudantes, cozinheiros, chefes de cozinha, professores de gastronomia e interessados em estudar a cozinha amazônica tenham uma experiência de imersão, com teoria, práticas culinárias, cultura e visitas técnicas na região considerada de maior biodiversidade do planeta.

Primeiro módulo

A primeira etapa, chamada de módulo Tucupi​, acontecerá entre os dias 21 e 29 de julho de 2018, das 8 às 19 horas na sede do Instituto Paulo Martins em Belém e em várias comunidades na região metropolitana da capital paraense. A segunda etapa, ainda não tem data definitiva, deve acontecer em  janeiro de 2019.

A chef Daniela Martins, ao lado da irmã Joanna Martins, continua o trabalho do pai

O módulo Tucupi, conta com a carga horária de 90 horas e terá a participação dos chefs de cozinha e pesquisadores: Daniela Martins, Joanna Martins, Ofir Oliveira, Paulo Anijar, Ilca Carmo, Felipe Gemaque, Bruno Ferreira, Artur Bestene, Suely Quinzani e Ana Alice Correa. E dos produtores da etnia Wai Wai (pimenta), De Mendes (chocolate), Senhor Bené (farinha de mandioca no paneiro) e pequenos produtores de mel de abelha nativa de Curuçá.

O valor deste módulo, que abrange desde a formação da cozinha brasileira e da culinária amazônica até os ingredientes mais utilizados na cozinha amazônica, é de R$3.700,00 para pagamento à vista e pode ser parcelado. O valor inclui: almoço e jantar durante os oito dias de imersão; apostila; avental; utensílios; insumos; visitas técnicas; e transporte para as atividades do curso. Não está incluído​: passagem aérea para Belém; hospedagem; alimentação e transporte que não estiverem descritos na programação.

Serviço

Cuia – Curso de Imersão em Cultura e Cozinha Amazônica

Módulo Tucupi – de 21 a 29 de julho, das 8 às 19 horas.

Promoção Instituto Paulo Martins

Belém – PA

Informações: [email protected]

Inscrições: www.cuia.belem.br

Mensagem via Site