Conectada a um sensor ajudei a reproduzir as emoções que sentia ao provar espumantes da Chandon com aperitivos. Uma degustação exclusiva das mais especiais, confesso. Na sala sinestésica, as reações em formas e cores eram exibidas em painéis de led em frente a uma grande mesa em curvas onde os convidados estavam acomodados.

O embarque no “mundo de possibilidades” aconteceu na Casa Chandon Brasil, na quinta-feira passada (21/10). Quer saber o melhor? Você pode participar também. O espaço instalado na Casa de Cultura do Parque estará aberto para visitantes de 30 de outubro a 14 de novembro.

Como Garibaldi, no Rio Grande do Sul, sede da empresa no Brasil, fica um pouco distante, a ideia foi trazer a experiência artística-sensorial em torno das temáticas escolhidas por eles – viticultura sustentável, diversidade e otimismo –  para São Paulo.

Nova identidade

Coube ao arquiteto, artista multimídia e designer Guto Requena traduzir o espírito da Chandon. Além de ambientação dos espaços, Requena é responsável pelo cardápio de experiências culturais da Casa Chandon, que faz um elo entre arte, tecnologia, emoções e a relação entre memória e cultura digital.

Os valores da Chandon junto com a nova identidade da marca “coragem, colaboração e inspiração” foram mostrados em vários ambientes, com direito a videiras pelo caminho, uma sala que reproduz o terroir do Rio Grande do Sul, loja com produtos customizados por artistas e um bar onde são preparados vários drinks com a bebida.

Eles dizem que são “vendedores de alegria” e é a pura verdade, reforçam também como um mantra de que são agricultores, “é da terra que vem o nosso produto”, fazem questão de contar, assim como enaltecer e valorizar as comunidades locais, os trabalhadores e também os consumidores. “Para nós, tudo começa no vinhedo, desde a atenção levada a proteção dos solos, a preservação da fauna e flora até o grande carinho no cultivo das nossas uvas”, reforça a diretora da Chandon do Brasil, Catherine Petit.

União

É forte a conexão entre todos os enólogos das seis casas espalhadas pelo mundo, Brasil, Argentina, Estados Unidos, Austrália, China e Índia, mais a França, e o evento presta uma homenagem a todos que trabalham na Chandon.

São 28 idiomas falados nas casas espalhadas pelo mundo, lembrou a diretora global de comunicação do grupo, a francesa Morgane Pont-Bruyns. “A linguagem que nós une é o amor pela história da marca, pela capacidade de se abrir com o outro, de falar com o outro. A crença é na comunicação e a excelência vem de uma grande equipe afinada”, disse em português afiado. Ela morou no Brasil e, por conta das restrições da pandemia, há dois anos não voltava ao país. “Fiquei emocionada quando o avião aterrissou em Guarulhos, chorei, amo essa terra”, contou a diretora.

Degustação

Quem preparou os tapas que acompanharam seis espumantes foi o Cordel Culinário. Philippe Mevel, o enólogo da casa, comandou a experiência.

Ele seguiu a recomendação de servir a bebida entre seis e oito graus, no máximo 10, garantiu.

Ao cheirar o primeiro espumante logo veio o aroma de abacaxi maduro. Depois com os outros vieram morango, pitanga, especiarias, figo seco e frutas maduras. Para não me repetir vou dizer que foi uma harmonização perfeita com todas as seis bebidas, fiquei impressionada. Resultado de um trabalho de dois meses para a definição do que iria combinar com o quê. Provamos polvo; pato com laranja; cogumelo ianomâmi com presunto; bolinho de cordeiro; cone com berinjela, missô e wasabi; trouxinha de frutas secas.

Casa Chandon

A Casa Chandon é um espaço pensado para disseminar conhecimento sobre espumantes de qualidade, já a marca é, foi e continua sendo um agente transformador da viticultura nacional desde sua chegada no país, em 1973.

As experiências que aguardam os convidados na casa proporcionam a vivência do universo Chandon, que vai muito além da garrafa.

A preservação do meio-ambiente, um dos principais valores da Chandon norteou a seleção dos materiais utilizados no projeto reduzindo ao mínimo a quantidade de resíduos não recicláveis. Madeira de reflorestamento e tecidos naturais foram utilizados no projeto.

Quando chegam à casa, os visitantes são recebidos para dar início ao tour guiado. A primeira parada é uma imersão cultural nos terroirs Chandon nas Serras Gaúcha, na sala Terroir. Por meio de um vídeo instalação e de um aroma sutil que enche a sala é possível ver as belas paisagens dos vinhedos. O próximo destino é o Bar Sinestésico para degustação e na sequência, um delicioso brunch temático no restaurante assinado pelo Botanikafé. Confira no site os chefs e bartenders que participam. Aos finais de semana, acontecem intervenções musicais artísticas no Bar Lounge.

A Casa Chandon conta ainda com solarium com espreguiçadeiras para relaxar após o tour. Em seguida o percurso conduz ao restaurante, no piso superior, com um mirante com vista para a copa das árvores.

Para saber mais, acesse: https://www.chandon.com.br/casachandonbrasil

SERVIÇO :

EXPOSIÇÃO CASA CHANDON BRASIL

Quando: De 30 de outubro a 14 de novembro.
Horário: 6as. das 11h às 16h.
Sábados, domingos e feriados: das 11 às 20h.
Horário das experiências:
Sexta-feira: 11:00h; 11;45h; 12:30h; 13:15h. A operação encerra às 16h.
Sábados e Domingos: 11h; 11:30h; 12h; 12h30; 13h; 13h30; 14h; 14h30. A operação encerra às 20h.
Feriados: 11h; 11:30h; 12h; 12h30; 13h; 13h30; 14h; 14h30. A operação encerra às 20h.

*Tolerância máxima de 15 minutos para início das experiências guiadas.

Onde: Casa de Cultura do Parque | Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 1.300 – Alto de Pinheiros, São Paulo.
Capacidade: 100 pessoas. Grupos de 14 pessoas por horário.

Ingresso: R$ 250,00. Link para compra: https://www.chandon.com.br/casachandonbrasil
Vallet: R$35,00.

Acesso para deficientes.
*Uso de máscara obrigatório.
*Será solicitada a comprovação da vacinação contra a Covid-19 no check-in do evento.
*Serão obedecidas todas as regras de distanciamento social, previstas no plano São Paulo.
*Recomendamos usar app de transporte ou táxi: se beber não dirija!

SOBRE CHANDON

A Chandon espumantes faz parte da maison LVMH, fundada em 1959 por Robert-Jean de Vogüé, um pioneiro que resolveu criar vinhos espumantes em terras estrangeiras. A marca está em quatro continentes, com vinícolas na Argentina, Califórnia, Brasil, Austrália, China e Índia. Com o maior terroir de espumantes do mundo, para eles “o sol nunca se põe”. Com base em uma rede colaborativa de dezesseis produtores de vinho de sete nacionalidades diferentes, defendem novos terroirs e métodos inovadores.

Facebook: /ChandonBrasil
Instagram: @Chandon_Brasil
Site: www.chandon.com.br
SAC Chandon: 11 3062-8388

 

Foto: Juliano Palma

Mensagem via Site