Gostaria muito de contar a história da Casa da Videira com detalhes. Falar do trabalho do Cláudio e do Eduardo. Prometi escrever tantas vezes, que nem conto porque estou morta de vergonha. Escrevi um pouco no post da caixa de minhocas e também quando fizemos lá uma reunião do comitê do Gastronomia Paraná. Mas teria muito mais assunto.

Acontece que fico me enrolando porque gostaria que fosse um post especial, bem completo, descrevendo tudo o que é feito lá, que não é pouca coisa. Quando o tema é importante quero colocar todas as informações necessárias. De maneira que o leitor entenda, valorize e apoie, se possível.

Mas, sabe o quê? Não dá tempo. O melhor mesmo é dizer para ir lá conhecer. Assim como fizemos com o Lee Tiernan, o chef que veio de Londres cozinhar no restaurante Manu, dentro do projeto Shuffle Gelinaz 2.

O chef londrino Lee Tiernan na Casa da Videira ajudando a separar ingredientes para alimentas os animais da Casa da Videira que seriam descartados

O chef londrino Lee Tiernan ajudando a separar ingredientes para alimentar os animais da Casa da Videira

Acho que o site da Casa da Videira está com problemas, mas na página do facebook dá para ter ideia do esforço e de tudo que fazem lá.

Desperdício

Uma atividade deles, por exemplo, é coletar do do supermercado a comida que iria para o lixo. Todos os dias, o Eduardo coleta e chega, às 16h, com a comida para ser separada. O carro fica cheio. Alguma coisa dá para aproveitar, o restante é separado para os porcos e as cabras. Não tem como não ficar impressionado. Estávamos lá quando o Eduardo chegou.

“As pessoas não têm noção do que acontece”, explica o coordenador do projeto Casa da Videira, Cláudio Oliver. Precisamos mudar a demando do consumidor. Criar consciência. Somos nós que rejeitamos a batata menor ou feia, e “o supermercado joga fora o que o consumidor não quer”, nos ensina.

Inspirar as pessoas a fazerem um mundo melhor é o trabalho deles. E o nosso pode ser ajudá-los, como agora. Mais uma vez a propriedade foi invadida e alguns animais foram mortos. Será necessário reforçar a segurança. Oliver quer com isso ajudar uma pessoa que precisa.

“O último roubo aqui nos fez pensar em ser ainda mais inclusivos e vai depender de quanto conseguirmos mobilizar”, escreveu na mensagem que recebi. As contribuições voluntárias irão para uma pessoa que está com dificuldade em arrumar trabalho devido a problemas de saúde e entende de sistemas de segurança.

Qualquer quantia é bem-vinda. Segue os dados bancários. Mais informações também nas páginas pessoais do Cláudio Oliver e do Rene Seifert Jr. no facebook. Amanhã tem mutirão, saiba mais aqui https://www.facebook.com/events/662617823897781/ e participe, se puder.

ASSOCIAÇÃO CASA DA VIDEIRA CNPJ 05038645/0001-37 BANCO DO BRASIL AGENCIA 1519-9 CC: 12.335-8 3-

Se ajudar entre em contato com ele ([email protected] ) avisando, assim fica mais fácil a prestação de contas depois.

 

Mensagem via Site