A Roberta Schwanke ficava atrás da avó todo tempo. Era pequena, mexia nas panelas e experimentava tudo. Nem desconfiava que dessa quase brincadeira ía nascer uma paixão.

Advogada, demorou a enveredar pela gastronomia profissionalmente, mas todo lugar onde trabalhava dava um jeito de vender uns docinhos pelo caminho. eu também demorei pra conhecê-la pessoalmente.

Até que ela montou o seu ateliê e aumentou a quantidade de gulosos pela cidade.

Agora, além de nem tentar frear a quantidade de doces que ela mesma consome, acho que por isso exala delicadeza e alegria, polvilha açúcares e pãezinhos no outro lado da cidade. Fiquei de olho no “misto quente da vovó” feito com aquele pão bem fino e bem tostado e queijo saindo pelas beiradas.

É na Atílio Bório que resolveu fincar raízes da nova casa e atender o público que pode se adoçar ali mesmo ou levar pra casa.

Tá bem escorada: em frente ao restaurante San Gambrinus e do famoso bar Tartaruga, pertinho do Chico Queijos.

Veja no perfil dela os endereços.
muito sucesso e obrigada pelo convite @robertaschwanke
@curitidoce
ali todo mundo parece feliz, né [email protected]joice_xoy
dá uma olhada no carrossel de fotos.