Fui atrás de clássicos. Ando em busca de sabores puros. Encontrei o Picchi, o restaurante do chef Pier Paolo Picchi, em São Paulo, que, recentemente, ganhou uma estrela Michelin.

Coincidentemente, no mesmo dia, abri o último número da revista Prazeres da Mesa, com o guia dos melhores do ano em muitas categorias, a festa tinha acabado de acontecer – fui conferir a premiação -, e lá estava Picchi e a receita do tiramisù. Bingo.

Perfeito!

Perfeito!

Já testei várias receitas em casa com resultado de invejado sucesso e outras com fracasso monumental. E como o chef consegue essa doce epifania? Pra ter ideia, ele mesmo faz os biscoitos champanhe e o mascarpone usados no tiramisù servido no restaurante.

É untuoso, leve, aerado, desmancha na boca, doce na medida, enfim, aposto que qualquer um irá derreter-se de paixão. Agora vou tentar reproduzir. Não quer fazer o mesmo e me contar?

Tiramissù

Creme mascarpone

390g de mascarpone; 200g de creme de leite; 70g de açúcar de confeiteiro; 4 gemas.

Café

10g de açúcar; 8g de café solúvel; 70ml de água fervente; 4ml de conhaque.

Montagem

Bolachas champanhe e cacau a gosto

Creme mascarpone

Branqueia as gemas com o açúcar na batedeira. Acrescente o mascarpone. Mantenha a velocidade e adicione o creme de leite.

Café

Misture tudo e reserve.

Montagem

Umedeça as bolachas com o café e deixe descansar por 20 minutos. Aqui vale uma observação, lembra que ele faz o próprio biscoito? Pois é, se você deixar o industrial no café por 20 minutos ele irá se dissolver, pelo menos o que eu costumo usar, que é artesanal. Faça um teste antes com a bolacha que estiver usando. Acrescente o creme. Repita o processo e leve ao refrigerador. Polvilhe cacau em pó, para decorar.

Picchi

Rua Oscar Freire, 533 Jardins – São Paulo

Telefone 11 3065-0055  restaurantepicchi.com.br

Mensagem via Site