Acompanhamentos para o churrasco feitos um para o outro

0

img-0200-900x893

Não tem quem não goste. Nem sei quantos anos se passaram desde que me encantei com o livro da Patrícia Wells. Foi o título que me laçou “Minhas receitas da Provence – receitas criadas em sua casa de campo na França”.

Isso renderia muita história e um post exclusivo sobre ela e sobre a “caçada de cogumelos”, que estamos programando há séculos, mas vou deixar para outro dia e não arredar o pé daqui porque se duvidar não termino o post.

Só vou fazer mais um comentário. A receita pedia que cortasse os cogumelos “carnudos e grandes, no sentido do comprimento, em fatias de 2,5mm de espessura”. Depois dizia para pincelar cada um com azeite de oliva, temperar com sal (uso flor de sal), pimenta-do-reino (moída na hora) e tomilho. Até aí tudo bem. Hoje, simplifico e coloco em uma tigela grandee tempero tudo junto,principalmente, se não forem tão grandes.

O problema começou quando ela dizia para colocar a “um ângulo de 45 graus das varetas da grelha e ir girando sempre no mesmo ângulo a cada minuto, apertando para deixar as marcas. Isso de cada lado, sempre por um minuto, passando por todos os lados, apertando na grelha. Uns cinco minutos mais ou menos. Com muitos convidados e muitos cogumelos é claro que me embananei. Achei a coisa mais difícil do mundo. Não é se você colocar naquelas grelhas para peixes, por exemplo. Grelha de um lado, vira e grelha do outro, pronto. Fogo alto.

Pode fazer numa chapa no fogão, mas nada se compara a fazer na churrasqueira. Depois disso, numa frigideira grande, em fogo moderado, derreta bastante manteiga “até que ela chie”, juntos os cogumelos em camadas, coloque mais tomilho, costumo colocar mais sal e pimenta também. Acabe de cozinhar, com a frigideira tampada, por cinco minutos mais ou menos. Não vire os cogumelos, mas regue, de vez em quando, com o caldo amanteigado de cozimento.

Farofa de pão

É outra receita da Patrícia Ferraz, editora de gastronomia do Estadão.Sucesso em todos os churrascos. Neste sábado, testei e a turma que comeu aprovou. Eu prefiro com pão de fermentação natural, porém, nesse dia não tinha e fiz com ciabatta comum e ficou muito bom. Pode torrar as fatias de pão com antecedência ou não, depois é só moer em um mixer. Essa “farofa” vai parar em uma frigideira com bastante manteiga clarificada e é só esquentar ou dourar. Tempera com sal e pronto. Você pode também polvilhar por cima de uma massa, por exemplo, dá o toque crocante.

Farofa de cebola

Coloquei aqui só para dizer que fiz com banha de porco e torresmo. Nada igual. Abençoei a vida do bicho e comi devagar. A receita de farofa de cebola campeã tem no site, é do Alex Atala, leva ovo e bacon, além das cebolas, pode procurar, mas farofa não tem segredo, muita manteiga de boa qualidade e farinha de mandioca. Como até acompanhando caranguejos.

Milho assado

Aproveite o fogo e coloque espigas de milho orgânico para assar. Pode cozinhar um pouco antes de grelhar se quiser mais rápido, ou coloque direto na brasa. Sirva com manteiga e sal.

Batata doce é a sobremesa

Vou deixar para outro post. Aguarde.

Jussara Voss - Gastronomia

Deixe Seu comentário