Gastronomia Paraná: é tempo de união e de planejar

0

Começo escrevendo sobre a feira Farofa porque ainda não comentei aqui. E participar de feiras não é para principiantes, mas com trabalho, boa dose de confiança e paciência dá tudo certo e deu.

Nossos representantes na feira Farofa, São Paulo
Nossos representantes na feira Farofa, São Paulo

Participamos pela segunda vez da feira, que acontece dentro da programação da Semana Mesa, da Prazeres da Mesa, em São Paulo, em novembro.

Ano passado, com a ajuda de vários empresários, Biorgânica, Panipano, Studio Creme, Júnior Durski com a maior cota, Sebrae PR e Fecomércio – com uma parcela significativa –, montamos três espaços e levamos mais de 70 pessoas, muitos pratos típicos e produtos do nosso Estado.

Neste ano, mais modestos, mas com o patrocínio integral do governo do Estado, por meio da Paraná Turismo, ocupamos um estante apenas, porém, o que importa é que nossos produtos mais emblemáticos estavam lá e pudemos representar bem o Paraná.

Quem foi

Estiveram conosco: os cafés paranaenses com o Lucca Cafés Especiais; os meles das abelhas nativas sem ferrão com o projeto Jardins de Mel de Curitiba; os embutidos da Salumeria Romani; duas cervejas – Morada e Maniacs –, e os produtos orgânicos da Biorgânica.

Também ocupamos o espaço do Mesa ao Vivo, com uma aula do Lênin Palhano, restaurante Nômade, de Curitiba. Ele mostrou como a erva-mate pode ser mais explorada. Rosane Radecki, do restaurante Girassol, de Palmeira, acompanhada da chef Eva dos Santos, deu aula e trabalhou muito bem no Brasa na Mesa, divulgando o nosso porco moura, raça autóctone resgatada aqui pelo trabalho do professor Marson Bruck Warpechowski da Universidade Federal do Paraná.

Rosane Radecki levou nosso porco Moura para o Brasa na Mesa
Rosane Radecki levou nosso porco Moura para o Brasa na Mesa
Lênin Palhano: receitas com erva-mate
Lênin Palhano: receitas com erva-mate

Ainda no estande do Slow Food, o projeto Tapixi, de resgate da erva-mate, do mixologista Rogério Rabbit, de União da Vitória, e os embutidos da Monte Bello, da Serra da Graciosa.

União

Temos muito mais para mostrar, com certeza. E vamos. Vem aí 2019 escolhido pelo Conselho Estadual de Turismo (Cepatur) para ser o Ano da Gastronomia – turismo gastronômico.

Fizemos uma primeira reunião sobre o assunto já convocando a turma das panelas, do campo, das instituições públicas e das pesquisas. Muitas sugestões foram apresentadas e estamos tabulando as informações, na verdade, a Tutano, do Beto Madalosso, nosso capitão, faz isso, colocando em ordem para definir as ações. Luiz Mileck, agora no O Locavorista, junto conosco na empreitada, além de ceder o espaço para as reuniões, que devem acontecer sempre no espaço nas últimas segundas-feiras nos próximos meses.

Na sede de O Locavorista: primeira reunião de planejamento para 2019
Na sede de O Locavorista: primeira reunião de planejamento para 2019

Em São Paulo ainda, Israel Prochmann, da Biorgânica, tratou de organizar algumas visitas fundamentais para o grupo paranaense afinar olhares. Como são bons esses encontros, saímos nutridos. Aproveitamos, entre outras atividades, para conhecer o trabalho do chef César Costa a frente do restaurante Corrutela, que merece post exclusivo, claro.

 

Os paranaenses no Corrutela do chef César Costa (segundo à esquerda)
Os paranaenses no Corrutela do chef César Costa (segundo à esquerda)

Seguimos, trabalho de formiguinha, vamos indo devagar como bons caipiras, comendo pelas beiradas, como se diz, pra ir longe. Que 2019 seja pleno, farto e alegre e que possamos atrair mais turistas e mostrar nosso potencial.

Jussara Voss - Gastronomia

Deixe Seu comentário